highlighted:

Saúde da família rural no Tocantins

Publicado em 19 de Março de 2018

Longas distâncias e poucos agentes são dois grandes problemas enfrentados por Wixson Batista da Silva – um dos poucos agentes comunitários da zona rural de Palmas, no Tocantins. Imagens do seu trabalho foram captadas e enviadas para a nossa mostra pela assistente social Werlem Santiago e você pode conferi-las aqui .

Wixson trabalha como ACS há três anos, sempre na zona rural. Ele acompanha nada menos que 171 famílias, o que dá quase 700 pessoas! Embora 700 seja a quantidade máxima de pessoas que podem ficar sob a responsabilidade de um ACS, esse é um número especialmente alto na zona rural. Isso porque, como disse Wixson à nossa equipe, as distâncias são enormes, muito mais significativas que nas áreas urbanas. E o pior: ele não recebe nenhuma ajuda de custo para o transporte. “Para dar conta, preciso andar muuuuito. E uso a minha própria ‘motinha’, que sofre, coitada”, brincou o agente.

Uma vez por mês o restante de sua equipe – médica e enfermeiros e, às vezes, uma nutricionista – visita as famílias com Wixson e, nos outros dias, ele faz a ronda sozinho. Para Wixson, falta alguém que seria essencial na comunidade: um agente de combate a endemias. Ele tenta suprir essa falta promovendo ações que seriam responsabildiade desse outro trabalhador, como conversas com as famílias para prevenir a dengue, por exemplo.   

O ACS conta que já foi chamado para trabalhar na área rural, mas, apesar das dificuldades do campo, não topou. “O povo aqui é muito receptivo, não tenho vontade de sair”, disse, comentando ainda que, em sua área de atuação, cerca de 90% das famílias são de baixa renda, recebendo cerca de um salário mínimo: “Na saúde, a área é 100% dependente do SUS e esse trabalho de acompanhar as famílias é muito importante para levar as informações”.

Wixson já percebeu melhoras nos indicadores de saúde da população desde que começou a realizar suas visitas: diminuição dos casos de dengue, das internações de crianças e de gestações na adolescência são algumas delas. Por essas e outras, ele se sente satisfeito por fazer o seu trabalho. Mas tem demandas: “O poder público tinha que olhar mais pelos agentes rurais”.

Você atua nas zonas rurais? Mora no campo e tem uma história bonita sobre a atenção à saúde pra contar? Queremos muito saber e mostrar pro mundo! Entra aqui e manda seu texto, suas fotos, seus vídeos ou áudios.


Comentários:

Para enviar comentários você deve estar autenticado, clique aqui para se autenticar.
content:
sidebar:
Widget: 12:
afterContent: