highlighted:

PROGRAMA VIDA NO TRÂNSITO EXPERIÊNCIA DA SUBCOMISSÃO DE GESTÃO E ANÁLISE DE ACIDENTES: APROFUNDANDO O DIAGNÓSTICO DE ACIDENTALIDADE VITÓRIA

Introdução: Governo Brasileiro, por meio do Ministério da Saúde (MS), lançou, em junho de 2010, o Projeto Vida no Trânsito, que é uma ação interministerial desenvolvida em parceira com a Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) e a Bloomberg Philanthropies, fundação internacional de promoção de atividades na área social. O principal objetivo do Projeto é reduzir lesões e óbitos decorrentes de acidentes no trânsito, em municípios selecionados por uma comissão interministerial. No Brasil, no período de 2004 a 2006, as ações iniciais envolveram as cidades de Teresina (PI), Palmas (TO), Campo Grande (MS), Belo Horizonte (MG) e Curitiba (PR). Em dezembro de 2011, o MS estendeu o Projeto Vida no Trânsito para todas as capitais brasileiras e Estados, ampliando suas ações de promoção da saúde e cultura de paz no trânsito; bem como ações de prevenção das lesões e mortes causadas por estes acidentes, gerando oportunidades de colaboração e coordenação conjuntas da saúde com outros setores, governamentais e não-governamentais. O Projeto tem por diretrizes: Articulação para formação de parcerias intra e intersetoriais de forma continuada buscando uma mudança na cultura de segurança viária, reduzindo as lesões e mortes no trânsito e promovendo saúde, paz no trânsito e qualidade de vida; Coleta, gestão e análise de dados buscando qualificar a informação por meio da integração das bases de dados dos vários setores (segurança pública, saúde, transporte/trânsito, previdência e outros) para a produção de análises de tendências e cenários, monitoramento de indicadores e identificação de pontos críticos (áreas quentes) de ocorrências das lesões e mortes no trânsito; Vigilância dos fatores de risco e proteção relacionados às ocorrências e gravidade das lesões e das mortes no trânsito; Sensibilização e capacitação de gestores e profissionais de saúde para a realização de ações de vigilância, promoção da saúde e prevenção de lesões e mortes no trânsito informações;Realização de ações, programas e projetos intersetoriais de segurança viária, acessibilidade e mobilidade humana. Objetivo: Descrever as atividades da Subcomissão de Gestão e Análise de Acidentes Graves e Fatais do município de Vitória e apresentar os resultados da análise dos acidentes fatais de 2013 e 2016. Métodos: Reuniões quinzenais para analise dos acidentes; Análise dos acidentes com equipe intersetorial e multidisciplinar; Análise realizada a partir de boletins e laudos das seguintes fontes de informação: Sistema de Informação Nacional sobre Mortalidade – SIM, Centro Integrado Operacional de Defesa Social – CIODES (Batalhão de Trânsito, Corpo de Bombeiros, Guarda Municipal de Vitória e Polícia Militar), Boletins de Ocorrência policial, Prontuários de Internação Hospitalar, Prontuários do atendimento pré-hospitalar de resgate - Serviço de Atendimento Móvel de Urgência – SAMU 192; Dados sobre alcoolemia e toxicologia disponibilizada pelo Departamento Médico Legal - DML (óbitos no local), Notícias veiculadas pela mídia local, Laudos Cadavéricos disponibilizados pelo Departamento Médico Legal. Resultados: Foi possível conhecer os principais fatores e condutas de risco e para a ocorrência de acidentes de trânsito sendo as principais causas de acidentes: excesso de velocidade, atitude imprudente do pedestre e direção perigosa do motociclista ainda os principais grupos de vitimas vulneráveis: pedestre (principalmente população idosa ) e motociclista; Ampliou e aprofundou o diagnóstico de acidentalidade por óbitos na capital; Subsidiou o planejamento de ações com maior especificidade, contemplando os fatores e condutas de risco específicos da realidade do município; O trabalho intersetorial ampliou a abordagem do problema, com pontos de vistas que se complementam e potencializam, fortalecendo o entendimento e a análise; Permite o aprimoramento dos registros do Sistema de Informação sobre Mortalidade do Ministério da Saúde; Conclusão: Esta metodologia apresenta-se como alternativa viável e coerente com os objetivos do Projeto Vida no Trânsito Nacional que trás como ordenação o trabalho intersetorial e o planejamento de ações integradas baseadas na realidade local e seus fatores de risco, recomendando-se o uso desta metodologia para outras realidades. A ausência de informação para a análise da totalidade dos acidentes foi uma deficiência observada e é objeto de qualificação por parte dos setores envolvidos na análise.

Comentários:

Para enviar comentários você deve estar autenticado, clique aqui para se autenticar.

Jacira

profissional sanitarista
BR
Ver perfil
sidebar:
Widget: 12:
Widget: Mais histórias 9:

Mais histórias

afterContent: