highlighted:

Projeto cuidando do Cuidador

Compartilhar no Twitter Compartilhar no Facebook Compartilhar no Linkedin Compartilhar no Whatsapp Compartilhar no Whatsapp Compartilhar por e-mail
Quem cuida merece ser cuidado
Quem cuida merece ser cuidado

INTRODUÇÃO

A criação do grupo “Cuidando do Cuidador” é um projeto de intervenção realizado pela equipe Nasf, na Unidade Básica de Saúde Iracema Siqueira de Abreu, no município de Ipueiras-TO.

Tendo como base a territorialização da área adstrita da unidade, realizada com a Equipe Saúde da Família, pôde se constatar que a quantidade de pessoas acamadas, cadeirantes ou com limitação funcional que necessitavam de cuidadores era de aproximadamente 07 pessoas.

OBJETIVO

Proporcionar o cuidado, estímulo, atenção e assistência para o cuidador, de modo a contribuir para seu bem estar físico e mental, objetivando melhorar a relação de cuidado com o paciente e aumentar o vínculo da família com a equipe de saúde, criando assim um espaço de convivência, lazer e relaxamento aos participantes através de atividades variadas.

METODOLOGIA

O projeto de intervenção deu início no dia 13 de Julho de 2018 na Unidade Básica de Saúde Iracema Siqueira de Abreu, cidade de Ipueiras-TO.

Na mesma semana da intervenção, a Equipe Nasf junto aos Agentes Comunitários de Saúde divulgaram nas casas dos cuidadores a criação do grupo que teria sua primeira reunião no dia citado.

A proposta era em um primeiro momento acolher os cuidadores e aplicar um questionário a fim de realizar o perfil desses cuidadores e confeccionar cartões de identificação de “Cuidador”.

O Fisioterapeuta Tiago Everton e o Enfermeiro Ronierre deram início às atividades, abordando justamente o tema do encontro, “Cuidando do Cuidador”, objetivando proporcionar um espaço de acolhimento e cuidado para os cuidadores que tantas vezes ocupam em suas vidas múltiplas funções.

Explanaram ainda sobre a importância do trabalho do cuidador e a necessidade dele também ser cuidado. Pois se deparam no dia a dia com pessoas que necessitam ser ajudadas e precisam de intervenção da equipe. Ressaltaram ainda que, para cuidar do outro, é preciso primeiro cuidar de si.

A Psicóloga Kalissa deu prosseguimento com dinâmicas e técnica de relaxamento.

Finalizando o primeiro encontro, houve ainda uma demonstração prática realizada pelo fisioterapeuta, com treino e orientações de como realizar as mudanças de decúbito de maneira correta para prevenir possíveis patologias relacionadas à esse tipo de sobrecarga na coluna, que muitas vezes não é considerado e tratado com a importância que merece.

Os encontros serão quinzenais, a duração será de acordo com a atividade proposta (oficinas, roda de conversa, dinâmicas de relaxamento, etc). 

As atividades serão variadas e de acordo com a demanda dos participantes, buscando propiciar momentos de lazer e descontração assim como de reflexão e acolhimento das dificuldades que envolvem o papel de cuidador.

Os encontros serão coordenados pela equipe de NASF (Núcleo de Apoio à Saúde da Família), ESF (Estratégia Saúde da Família) de Ipueiras-TO, acompanhada por voluntários de forma rotativa buscando a participação de toda a equipe.

Os cuidadores serão convidados e motivados a participar dos encontros pela equipe de saúde da UBS através dos Agentes Comunitários de Saúde.

RESULTADOS

Foram convidados ao todo treze cuidadores, diretamente em suas casas, tendo comparecido no dia da intervenção, um total de nove.

A reunião teve duração de 1h e 30 min na ordem já planejada.

Dados obtidos através do questionário:

Gênero:

Feminino (80%)

Masculino (20%)

Estado civil:

Divorciados(as) - (40%); Solteiros(as) - (10%) e Casados(as) - (50%).

Faixa etária:

20-30 (30%), 31-40 (10%), 41-50 (60%).

 

Escolaridade:

0-4º ano (10%), 5º- 8º ano (30%) e > 8º  ano (60%).

 

Tempo que atua como cuidador:

1-3 (10%), 4-5 (40%) e >5 anos (50%).

 

Em relação ao trabalho que realiza como cuidador:

Muito satisfeito (50%)

Satisfeito (40%

Insatisfeito (10%)

Número de horas por dia dedicadas ao portador de limitação funcional:

1-4 (20%)

>8 (80%)

 

Você considera sua saúde:

Muito boa (10%)

Boa (10%)

Razoável (60%)

Péssima (20%)

 

Dificuldades encontradas no dia a dia:

Cansaço físico.

Estresse mental.

Sobrecarga de atividades.

Falta de paciência em alguns momentos.

Privação da vida social.

Que aprendizado o cuidado de pacientes debilitados trouxe para a sua vida:

Sensibilizar com o sofrimento do outro.

Tornar-se uma pessoa melhor.

Importância da família.

Tornar-se um pouco mais paciente e tolerante.

 

Doenças que apresenta:

Hipertensão arterial (70%)

Ansiedade/estresse (20%)

Nenhuma (10%)

Como é seu dia-a-dia:

Atividades domésticas e cuidar dos pacientes.

 

O que levou a ser cuidador:

A necessidade de cuidar de um familiar que apresentava sequelas de doenças degenerativas ou crônicas.

Necessidade financeira.

As atividades foram muito elogiadas pelos cuidadores, que reconheceram a importância de dedicar uma parte do seu dia-dia para técnicas de relaxamento, bem como as técnicas de alavanca e muitas outras utilizadas para a mudança de decúbito.

DISCUSSÃO

O aumento da expectativa de vida populacional é acompanhado por uma carência de redes de suporte formais aos cuidadores.

Os pacientes que se encontram com algum tipo de limitação física necessitam de auxílio para realizar pelo menos uma AIVD (Atividade Instrumental da Vida Diária).

Destacam-se “os cuidadores”, verdadeiros protagonistas anônimos nessa nova esfera do cuidado, que por muitas vezes não estarem preparados para exercerem essa função apresentam:

- Constante tensão relacionada aos aspectos físicos, emocionais e psicológicos de sua vida;

- Medo de não saber como lidar com a doença, insegurança e falta de preparo do familiar/cuidador.

Apesar disso, nossos cuidadores estão 50% muito satisfeito com seu trabalho e 40% satisfeito. Essa satisfação pode ter sido influenciada por 80% dos entrevistados serem cuidadores familiares.

CONCLUSÃO

A criação do grupo “Cuidando do Cuidador” é extremamente importante para o Município de Ipueiras-TO, tendo em vista a promoção de um espaço de convivência, lazer e relaxamento aos participantes através de atividades variadas promovendo assim o cuidado, estímulo, atenção e assistência para o cuidador, de modo a contribuir para seu bem estar físico e mental, melhorando a relação de cuidado com o paciente aumentando o vínculo da família com a equipe de saúde, concretizando dessa forma o cuidado integral ao cuidador e ao paciente que recebe seus cuidados.

REFERÊNCIAS

CAMARGO, Renata Cristina Virgolin Ferreira de. Implicações na saúde mental de cuidadores de idosos: uma necessidade urgente de apoio formal. SMAD, Rev. Eletrônica Saúde Mental Álcool Drog. (Ed. port.),  Ribeirão Preto ,  v. 6, n. 2, ago.  2010 . 

PAULA, Juliane dos Anjos de; ROQUE, Francelise Pivetta; ARAUJO, Flávio Soares de. Qualidade de vida em cuidadores de idosos portadores de demência de Alzheimer.J. bras. psiquiatr.,  Rio de Janeiro ,  v. 57, n. 4,   2008

FERREIRA, Caroline Gomes; ALEXANDRE, Tiago da Silva; LEMOS, Naira Dutra. Fatores associados à qualidade de vida de cuidadores de idosos em assistência domiciliária. Saude soc.,  São Paulo ,  v. 20, n. 2, June  2011

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE ALZHEIMER. Disponível em:<http://www.abraz.com.br/>. Acesso em: 26 de abril de 2014.

BACK, Vanessa. Saúde Mental dos cuidadores de idosos portadores de doença de Alzheimer. Projeto de monografia. Criciuma, 2013.

MOURA, Suzane Magalhães. Implantar um grupo de cuidadores de idosos na localidade de Jenipapaeiro-Aquiraz/CE. Fortaleza, 2009.

Secretaria de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde. Brasília – DF. 2008. Guia prático do cuidador .Série A. Normas e Manuais Técnicos.

NERI, Anita Liberalesso. (Org.). Cuidar de idosos no contexto familiar: questões psicológicas e sociais. São Paulo: Alinea, 2002.

Vídeos

Galeria de imagens


Comentários:

Para enviar comentários você deve estar autenticado, clique aqui para se autenticar.

Tiago Everton

fisioterapeuta
TO / Ipueiras
Ver perfil
sidebar:
Widget: 12:
Widget: Mais histórias 9:

Mais histórias

afterContent: